Foto: Site banido do Google: O que não fazer
Voltar

Site banido do Google: O que não fazer

Ter o site banido do Google pode ser um pesadelo para o lojista digital e acredite, isso pode acontecer. Sabendo disso, nós do Ecommerce Puro separamos algumas dicas do que você não deve fazer para alcançar as boas práticas e ficar em paz com seu ecommerce.

Site banido do Google, e agora?

Assim como existem várias dicas para você utilizar o SEO no seu site, existem também algumas práticas que não podem ser utilizadas, pois corre o risco do Google banir a sua página, uma situação que pode trazer uma grande dor de cabeça futuramente.

Veja a seguir quais são os erros que você não pode cometer no site do seu ecommerce:


Inscreva-se em nosso canal no Youtube


Siga-nos no Instagram


Site banido do Google: Escolha da plataforma influencia?

A escolha da plataforma para o seu ecommerce influencia diretamente nas suas estratégias de SEO. Ela deve ser otimizada para facilitar o ranqueamento do seu site.

Opções de customização também são importantes, pois cada negócio tem suas necessidades. 

Dessa forma, não considere apenas o preço para escolher uma plataforma, o sucesso do seu site poderá depender dela.

Conteúdo duplicado – Externo

Conteúdo duplicado dificulta a compreensão do Google em analisar qual é a página original e qual é a mais importante do seu site. Sendo assim, evite essa prática.

Existem dois tipos de conteúdos duplicados: externos e internos. 

Quando falamos de descrição de produtos, recomendamos que sejam originais e únicas, não utilize a mesma que seu fornecedor ou o fabricante utilizou, pois é um exemplo de conteúdo duplicado externo.

Imagine que várias lojas utilizem a mesma descrição em seus sites, se você também repetir, não vai se diferenciar dos concorrentes e o seu site pode ter dificuldades de se posicionar bem nesses produtos.

Conteúdo duplicado – Interno

É comum ocorrer conteúdo duplicado quando diferentes URLs dão acesso à mesma página inicial, por exemplo:

  • www.seusite.com.br
  • seusite.com.br
  • seusite.com.br/index.html

Outro exemplo comum são as páginas parametrizadas que levam a mesma página da URL original, por exemplo:

  • seusite.com.br/consoles
  • seusite.com.br/consoles/utm_source=newsletter&utm_campaign=games

Se isso acontece, você está criando concorrência desnecessária entre as suas páginas e o Google nunca vai saber quais são as mais relevantes.

Para resolver esses casos, você deve aplicar uma Canonical Tag, ou seja, uma marcação inserida no código-fonte do seu site, indicando que ele é um conteúdo original. Com isso, o Google entenderá qual é a URL original ou a mais importante, e que deve ser indexada pelos seus robôs.

Links quebrados

É comum que algumas páginas deixem de fazer parte de um site ao longo do tempo. Alguns produtos deixam de existir, páginas mudam de URLs, entre outras situações. 

O usuário quando acessar essa página que não existe mais, vai se deparar com o erro 404 (“page not found”). Dessa forma, é importante corrigir esses problemas.

Você pode criar uma página de erro personalizada pedindo desculpas e direcionando para outros conteúdos. Além disso, é possível usar o Redirecionamento 301 da URL inexistente para uma URL nova.

O Redirect 301 é um redirecionamento permanente usado para mostrar ao usuário e os buscadores que a página que ele procura mudou de endereço e se encontra em uma nova URL. Geralmente quem realiza esse trabalho é o desenvolvedor do seu site.


Veja também: Vender no Mercado Livre: Quanto custa?


Link Farm

Link Farm é o nome dado a uma prática de manipulação nos sites de buscas. Basicamente o usuário cria um grupo de páginas para direcionar a um mesmo link.

Links apontando para o seu site são importantes e influenciam no ranqueamento, mas realizar esta ação em excesso, é considerado ofensivo para o Google. 

O objetivo dessa prática é enganar os mecanismos de busca para obter um melhor resultado em termos de busca, mas o efeito acaba sendo o contrário, fazendo o site perder posições. 

A dica é utilizar de forma correta a linkagem de seu site, aderindo a parcerias de conteúdo, realizando o fluxo da maneira mais natural.

Site banido do Google: Não esconda conteúdo

Uma prática ilegal do Google, que pode trazer penalizações pesadas a quem pratica, é escrever textos e palavras-chave no site e definir a cor igual a do fundo, por exemplo, tornando-as invisíveis ou ocultando através do código.

Quem adere a essa prática, geralmente não consegue escrever um bom conteúdo e acaba forçando o uso de palavras-chave para melhorar seu ranqueamento.

Dedique seu tempo para escrever descrições e conteúdos originais e de qualidade, para que seu site ranqueie de forma natural e dentro das regras.

Site banido do Google: Não compre links

Os robôs do Google realizam uma varredura que indexa conteúdos, com isso, consegue identificar e penalizar sites suspeitos de praticarem a compra e a venda de links.

Esta é uma prática grave para o Google, e se identificada, seu site será banido.

Site banido do Google: Não use links escondidos

Assim como os conteúdos escondidos, os links escondidos, chamados de “pixel link”, são utilizados para melhorar o ranqueamento, mas se identificado pelo Google, pode gerar um banimento instantâneo do seu site.

Não exagere nas palavras-chave

Essa técnica é chamada de Keyword Stuffing e consiste em colocar a palavra-chave em excesso, principalmente no texto. O Google pode não te banir se identificar essa prática, mas fará com que você perca muitas posições nas pesquisas.

Não use cloaking

Essa técnica consiste em exibir uma página para o Google e outra totalmente diferente para os leitores. Existem muitos programas que são usados para aplicar o método que gera banimento de sites do Google. 

Não utilizar scraper writer em seu site

Os scrapers são programas que procuram conteúdos na internet para serem replicados em um site. Se identificada essa prática, o Google realiza o banimento do site.

Estes foram alguns dos erros mais graves que você deve evitar, pois assim que seu site recebe penalizações, ou banimentos, precisa passar por diversas etapas para reconquistar a confiança do Google. E na maioria das vezes não volta para o ar. 

Se seu site de ecommerce não produz conteúdos como blogs, não deixe de seguir as regras e boas práticas mesmo assim. Como dito anteriormente, a descrição de seus produtos são importantes para o ranqueamento, assim como outros fatores já apresentados.


Veja também: Vender mais nos marketplaces: 5 dicas poderosas


Começa com a simplicidade de uma escolha. A força de uma decisão.

[mc4wp_form id="155"]

Você também vai gostar desses conteúdos

3 Dicas para Vender mais na Loja Integrada:

Para maximizar vendas online, é crucial adotar estratégias que diferenciem…

Ver mais

Dinheiro da Empresa Acabando, O Que Fazer?

Na gestão financeira de e-commerce, enfrentar dificuldades financeiras é um…

Ver mais

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.